jusbrasil.com.br
29 de Maio de 2020

Começar na advocacia é difícil. Mas e manter-se?

Pedro Custódio, Advogado
Publicado por Pedro Custódio
há 10 meses

Hoje, quando me sentei para escrever esse texto, enquanto escolhia uma música legal no Spotify para embalar minhas ideias, lembrei de algo que meu pai sempre me dizia: o difícil não é ter, mas manter.

Na época, eu achava essa frase um pouco pessimista. Geralmente, ele dizia isso quando via a grama que ele tinha aparado há poucos dias alta novamente depois de uma chuva.

Com um pouco mais de experiência, hoje percebo que ele tinha razão. O difícil não é ter um carro, mas mantê-lo limpo e com os documentos em dia. O difícil não é casar-se, mas manter o amor sempre aceso, mesmo nos dias ruins. O difícil não é entrar na faculdade, mas entender que aquele período irá te ensinar a profissão que te manterá pelo resto da sua vida, provavelmente - ou não.

Adoraria filosofar um pouco sobre a vida aqui, mas esse não é objetivo do texto.

O difícil não é se tornar um advogado e começar, mas manter-se advogando.

Em maio deste ano eu completei 30 anos. Me alimento bem, procuro praticar exercícios físicos e dificilmente pego uma gripe. Minha saúde indica que, provavelmente - assim espero, é claro - atingirei a expectativa de vida do brasileiro: 80 anos de idade.

Quando pensei nisso no dia do meu aniversário, numa conta fácil de fazer, conclui que ainda tenho 50 anos de vida pela frente.

Cara, é muito tempo.

Vocês, amigos e amigas, vão me desculpar, mas não quero advogar por tanto tempo, nem mesmo mais 35 anos, quando terei a tão almejada “idade da aposentadoria” - se bem que eu não tenho a mínima ideia de como vão estar as regras previdenciárias até lá.

Na verdade, não me preocupo com isso. Me preocupo com o meu plano e como vou fazer para realizá-lo.

Eu nunca fui de planejar muito as coisas. Sempre gostei de viver o “hoje”, mas a própria vida me ensinou que isso nem sempre dá certo.

Quando eu me mudei para o sítio, tinha uma boa renda mensal de algumas empresas que eu assessorava. Meu plano era bem simples e consistia em sair do aluguel e das despesas da cidade grande, juntar uma boa grana e viajar com a minha esposa por um bom tempo.

Meu maravilhoso plano foi por água abaixo em apenas três meses quando dois clientes faliram e um teve que cortar gastos, dispensando os meus serviços.

Sem clientes pagantes, longe da cidade e sem um plano B, me vi na merda. Foi aí que percebi que precisava de um plano melhor e a longo prazo.

Volta e meia vejo bacharéis em direito comemorando a aprovação no exame da Ordem. Geralmente tiram uma foto da carteirinha com a hashtag #aprovado - ou #chupaoab.

Quando vejo essas fotos, com toda positividade do mundo, é claro, sinto vontade de comentar: você nem imagina o que te espera - com algum emoction de risos.

Bem-vindo a um mundo do qual você nunca ouviu falar na faculdade. Aqui, meu amigo e amiga, já somos mais de um milhão de advogados, e o que todo mundo está querendo saber é como se manter nesse mercado.

Manter-se atualizado, usar a tecnologia, atender bem o cliente e blá blá blá. Disso você já sabe. Tenho certeza.

Eu poderia ir caminhando para o final do texto dizendo o que você precisa fazer, mas confesso pra você que também estou procurando as minhas respostas.

Talvez, no máximo, eu posso te dizer como pensar.

Pense que não existe nada imediato e as escolhas que você faz hoje vão refletir no seu futuro.

Pense que você precisa de um bom plano e de uma motivação para aqueles momentos em que você pensar em desistir dele.

Pense que você precisa aprender a dizer não para tudo aquilo que te leva pra longe desse plano.

Pense que, ao mesmo tempo que alguém cobra 25% do valor que você cobra por um serviço, tem outro que cobra o dobro do que você cobra e, na boa, é esse cara que você precisa estudar pra entender como e o que ele fez pra chegar lá.

Pense que as coisas estão mudando tanto que, provavelmente, daqui a 10 anos, você corre um sério risco de perceber que está apenas no começo e, talvez, você precise se reinventar e traçar um novo plano.

Pense que você pode criar outras fontes de renda.

Por fim, pense também que o direito é tão amplo que você pode, inclusive, advogar.

E aí? Gostou desse texto? Tem alguma experiência legal sobre manter-se na advocacia? Adoraria saber! Me conte nos comentários!

Originalmente publicado em pedrocustodio.adv.br

61 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Para manter-se na advocacia, o primeiro segredo é ter calma.
O segundo passo é ter fé, perseverança e muita cuca fresca.
Manter-se apenas da Advocacia é algo complicado, demorado e demanda paciência.
A experiência só vem com o passar dos anos.
Baques e quedas ocorrem, mas se o advogado é, de fato, vocacionado, sobrevive.

Tem um vídeo meu e que está sendo bem acessado pelo Brasil, onde trato exatamente dos primeiros passos na advocacia, orientando as pessoas que sequer adentraram ainda à sala de aula na intenção de cursarem Direito.
Nele falo dos bastidores da profissão, o árduo e duro labor inicial, pois acredito que muitos, se soubessem o que, de fato, significa ‘Pós Graduação em Direito e Pós Conquista da carteira vermelha’, pensariam dez vezes antes de iniciarem a carreira.
Se alguém se interessar, eis o link: https://www.youtube.com/watch?v=NTO4paj15eQ&t=104s

No meu caso, não fui surpreendida em absolutamente nada.
Eu já sabia o que me aguardava.
Só que uma coisa é você saber; outra coisa é você vivenciar no corpo, na alma e no coração!

Vez ou outra, me sinto como uma ‘fera ferida’; mas olho o anel de formatura, os títulos acadêmicos, o atual saldo bancário, os objetivos firmes e pontuais, traçados na solidão do meu quarto, e constato, alegre, que estou no rumo certo e que no momento adequado, triunfarei do jeito que planejei.

Eclesiastes diz: Há um tempo para todas as coisas debaixo do céu!
Estou no tempo da plantação.
O tempo da colheita chegará!
É só regar e usar o adubo certo!
A terra é boa, meu amigo! continuar lendo

Oi, Fátima!

Tirei dez minutos do meu dia aqui para assistir ao seu vídeo. Vi uma advogada muito simpática e realista por lá! Haha!

Parabéns!

Te desejo sucesso sempre!

Abraços! continuar lendo

Suas palavras são acolhedoras e me identifico com elas. Estou nos primeiros 2 anos de advocacia, abri mão de tudo para advogar, em partes foi um erro. Desde o primeiro dia que escolhi advogar e primeiramente passar na OAB minha vida vem de baixos a fundo. Pouco serviço, pouco dinheiro e muita oferta, em minha cidade em cada esquina tem um escritório de advocacia e muitos destes são antigos. Penso em ter uma renda paralela, projeto ja em andamento. Recentemente abri um escritório para que pudesse ser vista e em decorrência disto ser contratada, porém a situação continua a mesma. Não posso desistir afinal de contas tenho compromissos a honrar. Entretanto tenho uma bela profissão e acredito nela mesmo sendo dificil e demorado seu retorno. Tenho 43, pretendo viver ate os 100. Tenho muito tempo para prosperar e quero começar agora. Gratidão. continuar lendo

Oi, Marilda!

Fico feliz que tenha se identificado com o texto. Espero que tenha sido muito útil pra você.

Na advocacia, realmente, o retorno vem a longo prazo, por isso é importante ter um bom plano e a cuca fresca, como a experiente @fatimaburegio falou ali em cima.

Obrigado pelo seu comentário! Abraços! continuar lendo

Também trintei em maio.

E, talvez, pela similitude ideias e reflexões me senti particularmente tocado pelo artigo. De domingo para segunda, peguei-me - finalmente - na primeira crise dos 30! Acordei no começo da manhã pensando comigo mesmo: "cara, eu já fiz 30 anos... nessa idade, meu pai já tinha me tido e tinha construído a primeira casa da família... o que eu já construí até aqui?"

Ai fiz as projeções para os próximos 30 anos e percebi que a dimensão do tempo depende muito do referencial. É aquela velha história do copo meio cheio, meio vazio. Depende de como você encara as situações.

A advocacia é difícil não somente pelo externo, mas principalmente pelo interno. Harmonizar a ansiedade de uma geração que vive a necessidade de sucesso cada vez mais cedo e descolada, muitas vezes, da realidade é difícil. São muitas soluções aparentemente fáceis (não à toa, existem 1001 cursos e coaches ensinando advogados a advogar), mas poucos realmente dispostos a trilhar a caminhada real.

Uma caminhada que não é nem um pouco bonita e cor-de-rosa como pintam aí. Advogar, de verdade, é tropeçar diariamente e, ainda assim, seguir adiante. É plantar hoje, como bem disse a @fatimaburegio , e colher amanhã. E outros jargões...

Advocacia é "tiro longo", costumo dizer. E é no longo prazo que os resultados e bons permanecem...

(Há) Braços! continuar lendo

Caro Thiago!

Senti uma enorme emoção ao ler seu desabafo espontâneo, sincero! Prezo por isto, companheiro!
Como tenho quase o dobro da idade de vcs, acho que posso dar alguns conselhos acerca das coisas de vida.

Então, hora de vcs ouvirem algo:
Conta-se que uma mulher estava fazendo um bordado enorme. A criança estava sentada no chão e a mãe na cadeira, bordando. A menina olha de baixo para cima, e diz: - Mamãe, que bordado horrível que você está fazendo!
A mãe, carinhosamente pega a criança, senta-a no colo e exibe o bordado pelo lado correto, ao que a menina exclama: - Mamãe, que arte linda você está fazendo!

Querido, às vezes até nós mesmos vemos os nossos bordados pelo avesso. Não conseguimos vislumbrar a arte bordada pelo ângulo correto e podemos, em dado instante, pensar, equivocadamente, que estamos fazendo um grande borrão.

Como já te acompanho há anos, posso dizer, sem medo de errar: seu bordado é lindo, seus objetivos serão concretizados e o seu futuro vai (e já está) acontecendo todos os dias.

Sinta-se abraçado! continuar lendo

Sem palavras para tanto carinho e aprendizado num só comentário.

Não vou rasgar seda, Dra. Fátima, mas sabe que te admiro demais como ser humano e como profissional.

Obrigado! continuar lendo

Inspirador, Thiago!

E você tocou num ponto muito importante, que é o fator interno. Antes de querer o sucesso e todas as coisas externas que ele traz, a gente precisa estar muito convicto dos nossos valores e objetivos.

Só essa convicção nos mantêm firmes e confiantes no caminho que escolhemos, ainda que seja difícil e os resultados pareçam demorar.

Obrigado pelo seu comentário, meu caro!

(Há) Braços! continuar lendo

Excelente e realista! A capacidade de se reinventar não só na advocacia, como em outras formas de renda é primordial. Parabéns, também estou nesse caminho. continuar lendo

Opa! Valeu, Rafael!

Obrigado pelo seu comentário e muito sucesso em sua jornada!

Abraços! continuar lendo